Família Bulcão > artigos

Site criado em 22/11/2010
http://www.familiasdobrasil.com.br/bulcao
Plano: Pacote Ilimitado - Validade indeterminada
Fundador: Marcelo de Souza Lerina
Casal raíz: João de Araújo de Aragão Bulcão (1834) e Augusta Emília Moniz de Aragão Bulcão (1842)
Local de referência: São Francisco do Conde (BA) e Lavras do Sul - RS - Brasil

51 membro(s) cadastrado(s)

 

 

 
  • Marcelo de Souza Lerina

    Castelo Garcia D’Ávila (BA) – Único do gênero na América

    Quem visita o Castelo Garcia D’Ávila fica imaginando como o homem conseguir erguer tamanha expressão arquitetônica nos primeiros anos de descobrimento do Brasil. Considerado a primeira edificação portuguesa de arquitetura residencial militar no Brasil, as ruínas apresentam características medievais, sendo a única construção do gênero em toda a América.

    Situado a 70m acima do nível do mar, suas paredes erguidas com pedra em estilo manuelino, em uso por Portugal, mostram a engenharia e a técnica dos europeus numa expressividade única em toda América. Mas não é somente isso. O conjunto artuitetônico do Castelo Garcia D’Ávila abrange ruínas da casa, capela, torre de defesa e seus anexos. E mais, de suas janelas se tem uma paisagem sem igual do mar da Bahia

    O Castelo fica encravado no município da Mata de São João, há 80km de Salvador e pouco mais de 270km de Aracaju, mais precisamente na Praia do Forte (Costa dos Coqueirais). Tombado pelo Patrimônio Histórico e Cultural Nacional, é considerado um dos mais importantes sítios históricos do país. Originalmente denominada por seu proprietário como Torre Singela de São Pedro de Rates em homenagem a Capela de São Pedro de Rates, é também conhecido como Torre de Garcia D'Ávila, Forte de Garcia D'Ávila ou Casa da Torre.

    A parte mais antiga da edificação, datada do século XVI, é a capela de São Pedro de Rates, santo adorado na cidade natal da família Ávila, mesmo berço de Tomé de Souza, primeiro governador geral do Brasil. Atualmente chamada de Capela de Todos os Santos, foi ela quem deu origem à sede, concluída somente em 1624, com a terceira e mais poderosa geração da dinastia. A capela foi restaurada em 2002 e em sua cúpula foi encontrada a pintura original.

    O Morgado da Torre, como era chamado o império particular da família, foi considerado o maior latifúndio do mundo, com um total de 800 mil km², correspondendo a um décimo do território nacional. Depois de muitas pesquisas, hoje é considerado a primeira grande edificação portuguesa construída no Brasil, erguida a partir de 1551 por Garcia de Souza D’Ávila, filho de Tomé de Souza. Sua torre construída também em alvenaria de pedra e cal, tinha a função de vigiar o sertão por um lado, resistindo aos ataques dos indígenas revoltados, e o mar pelo outro, resistindo aos corsários que então procediam do litoral.

    O castelo foi palco da resistência à invasão holandesa na Bahia. Em 1835, com o fim do regime dos morgados, o castelo foi abandonado e, em meados do século XIX, já se apresentava em ruínas. Reconhecendo o valor histórico da construção, a então Secretaria do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (SPHAN), em 1938, tombou suas ruínas, que mais tarde viriam a ser um grande atrativo para quem se interessa por turismo histórico.

    Com o intuito de administrar e preservar a área, foi criada a Fundação Garcia D’Ávila, que desde então é a responsável pela preservação de todo o conjunto e também por algumas restaurações que já ocorreram, como a da capela. Uma área de aproximadamente 20 hectares, batizada de Parque Garcia D’Ávila, também foi criada com o intuito de revitalizar o espaço, dando ao visitante todos os aparatos para conhecer detalhadamente a saga desta impressionante família.

    O Parque hoje abrange um Centro de Visitação com 1.700m², formado por um amplo salão onde está exposta a maquete do Castelo, e espaços onde estão instaladas salas para exposições históricas e arqueológicas, loja, salão para áudio visual, belvedere e centro administrativo. Na sala de exposições há diversos utensílios encontrados na área do entorno do castelo.

    É de impressionar ver com detalhes a engenharia das colunas, erguendo-se pedra sobre pedra, se observado a época da construção. Para se ter uma ideia, a edificação principal ainda apresenta traços do que eram os aposentos da família, um corredor de arcos e escadas numa espécie de mansão senhorial. O marzão da Bahia é avistado bem de cima das ruínas. O que está esperando? O passeio pela história do Brasil lhe reserva bons momentos.

    Como chegar

    O Castelo da Torre de Garcia D'Avila localiza-se no acesso à Praia do Forte, município de Mata de São João, a 80 km de Salvador, Bahia. Segue pela Linha Verde e entrar à direita, 2 km após a entrada de Praia do Forte. Depois seguir por mais 4 km até o Parque (3 km de estrada de terra).
     
    voltar

     
     

Patrocinadores da família
+ Agro Máquina Usada
+ Flor de Quintal
Apoiadores da família
+ Leticia Lionello de Azevedo
+ Marcelo de Souza Lerina
+ Prof. Dr. Luiz Alberto de Vianna Moniz Bandeira